Image module

RENOVA SP ÁGUA VERMELHA 2 – PROJETO BÁSICO DE URBANISMO E PAISAGISMO
São Paulo-SP, BR, 2011-2018

Área de aproximadamente 4.000.000 m² na zona leste da cidade de São Paulo, nas sub-bacias do córrego Água Vermelha e Lageado. Sua ocupação por assentamentos precários iniciou-se na década de 1980. Atualmente, o perímetro conta com 23 assentamentos: 10 favelas com 5.444 domicílios, e 9 loteamentos com 10.853 domicílios e 4 núcleos urbanizados, com 676 domicílios.
O projeto visa estabelecer critérios de transformação a partir da cidade informal para a cidade formal. Como a população entendia o rio como um lugar inóspito, sujo e desagradável, a cidade informal passou a crescer sobre ele ou dando as costas para ele. Por isso, o objetivo do projeto é aproximar o rio à população. Pretende-se mostrar a imensa riqueza que representa ter um rio e seus sistemas perto de casa, incentivando a interpretação das dinâmicas que ocorrem ali e também a participação da população em iniciativas pela preservação do meio-ambiente.
A estratégia é gerar um grande parque linear que potencialize o corredor verde fluvial e faça uma suave transição entre este ecossistema e o tecido urbano existente. A multiplicidade de serviços que são prestados na comunidade consolida esses eixos cívicos de convivência e de intercâmbio cultural e permite a população reconhecer o delicado sistema ambiental que a rodeia.
O paisagismo tem um papel relevante nesta operação de “cirurgia urbana”, como instrumento de pacificação do tecido urbano, gerando nele conectividades e dotando de qualidade ambiental uma porção da cidade que carece de identidade.
Através de um estudo pormenorizado dos sistemas fluviais, se levarão a cabo as operações técnicas adequadas para que a população fique livre das inundações.
Parte da população será realocada para um terreno próximo ao rio Tietê, contido em uma zona de baixa densidade. O terreno é resultado de um aterro, cuja terra é proveniente de escavações feitas na região para a construção de uma represa de contenção das águas pluviais que servirá também para ativar a presença da fauna e da flora nativas. Sob os novos edifícios de habitação a presença do aterro foi um recurso utilizado para a criação de subsolos de estacionamento sem a necessidade de escavação do terreno original.

Prêmios
1º PRÊMIO CONCURSO DE IDEIAS

Cliente
Prefeitura Municipal de São Paulo-SP / Secretaria Municipal de Habitação

Área / Valor
400 ha / R$ 4.261.301

Associados
LIBESKIND+LLOVET Arquitetos
Jansana, de La Villa, de Paauw Arquitectes

Consultores
BAC ENGENHARIA / EGI

Equipe
Autores: Claudio Libeskind, Sandra Llovet, Robert de Paauw, Imma Jansana, Conchita de la Villa, Toni Abelló e Carlota Socias. Colaboradores: Adriano Soares, Marina Rosa, Natália Leardini, Ariane D’Andrea, Vinicius Libardoni, Bruna Bimeghini, Luana Pereira, Beatriz Vanzolin Moretti, Gabriel Faria de Paula, Gabriela Barbosa Amorim, Guilherme Filocomo, Márcia Endrighi, Camille Bianchi